07/04/2018

Unboxing: Ateliê Artes e Manhas


O post de hoje é um unboxing super especial direto do mundo invertido. O Ateliê Artes e Manhas agora é parceiro do blog, e para comemorar essa novidade incrível vim mostrar em detalhes tudo o que eu recebi da loja para vocês! ;)


❤ Chaveiro Alice:

O primeiro item que eu recebi foi um chaveiro super fofo da Alice feito de biscuit. É um produto que além de ser rico em detalhes, é de ótima qualidade, perfeito para acompanhar os apaixonados pelo País das Maravilhas em todos os lugares ou ser uma opção de lembrancinhas de festas infantis.


❤ Marcadores de páginas:

Quem ama livros consequentemente ama marcadores de páginas, né?! Eu particularmente  adoro colecionar e com certeza esses que eu recebi se tornaram os meus favoritos. Dois deles, o de unicórnio e o de ursinho, são feitos de biscuit. Os outros são de papel com gatinhos (sim, eu disse gatinhos) em diversas posições com livros. Todos são super lindos e delicados, além dos de biscuit serem de ótima qualidade. Vão ser os meus companheiros de leitura! <3



Personagem de biscuit:

O último item que eu recebi, mas o mais esperado, é o personagem Demogordon da série Stranger Things feito com biscuit. O ateliê é especializado em criar os personagens que amamos em biscuit para adicionarmos ou começarmos a nossa coleção. Eu fiquei simplesmente encantada por ser uma peça com uma riqueza em detalhes (que é super possível ver na imagem), por ser de excelente qualidade e ainda pelo fato de vir super bem embalado, com plástico bolha, para que a peça chegue em perfeito estado ao cliente.


Além dos itens mostrados nesse post, há outras peça feitas de biscuit que vocês podem conferir lá no instagram do Ateliê ou na loja deles, os links estarão aqui embaixo. Fico extremamente feliz em trazer para o blog lojas que atendem muito mais que a necessidade do público, que colocam excelência e carinho a cada produto criado.


23/03/2018

Resenha: Coragem

Autora: Rose McGowan
Editora: HarperCollins Brasil
N° de Páginas: 288
Nota:




Sinopse: ROSE McGOWAN nasceu em um culto e o trocou por outro, mais visível: Hollywood. Rose McGowan se tornou uma das atrizes mais desejadas de Hollywood da noite para o dia quando foi "descoberta" nas ruas de Los Angeles. O estrelato logo se tornou um pesadelo de exposição constante e sexualização. Todos os detalhes de sua vida pessoal se tornaram públicos, e as realidades de uma indústria inerentemente machista emergiam a cada roteiro, papel, aparição pública e capa de revista. Hollywood esperava que Rose ficasse quieta e cooperasse. Em vez disso, ela se rebelou e impôs sua verdadeira identidade e voz.

Ela reemergiu sem roteiros nem desculpas, corajosa, controversa e sempre verdadeira. Liderando o movimento de denúncias de assédio sexual na indústria de entretenimento ao expor os crimes de Harvey Weinstein, Rose é hoje um dos rostos do movimento feminista e não hesita ao disparar verdades inconvenientes e exigir mudanças.CORAGEM é seu livro de memórias em forma de manifesto - um relato sem censura nem piedade da ascensão de um ícone millennial, uma ativista sem medo e uma força de mudança imparável determinada a expor a verdade sobre a indústria do entretenimento, trazer à luz uma indústria multibilionária construída sobre a misoginia sistêmica e empoderar pessoas ao redor do mundo a acordarem e terem CORAGEM.


Opinião: Quando recebi o exemplar de “Coragem”, não sabia o que iria encontrar a cada capítulo. Não sabia que a leitura poderia me fazer enxergar pontos da sociedade que até então eu nunca havia questionado. “Coragem” se tornou o livro mais inspirador que eu já tive a oportunidade de ler. É uma leitura válida e atual, que deveria chegar nas mãos de cada pessoa da sociedade.

A escrita de Rose McGowan faz com que o leitor tenha a impressão de estar lendo um diário, pois os capítulos fluem muito bem. Já o conteúdo que encontramos neles, são tensos e me fizeram prender o fôlego em várias descrições. A autora aborda inúmeros temas de extrema relevância e importância para a sociedade evoluir como um todo.

Rótulos impostos pela sociedade à meninas desde a infância; relacionamentos abusivos; desigualdade de gênero; sociedade machista onde o poder está nas mãos de homens ricos; agressões: físicas, sexuais e verbais. É isso que você irá encontrar a cada capítulo. Não é “mimimi”, é veracidade, é enxergar uma realidade enfrentada por inúmeras mulheres todos os dias ao redor do mundo sob a perspectiva de uma SOBREVIVENTE.

Além de conseguir transmitir o que as mulheres sentem, Rose descreve os inúmeros abusos que sofreu em Hollywood, e em um ano onde as atrizes gritaram aos quatro ventos do tapete vermelho “The Time is Up”, dizendo fim aos abusos que sofriam, o leitor tem mais uma chance de entender que nem tudo é glamour para as atrizes.

Acredito que Rose deu voz a milhões de mulheres. Não tenho críticas a fazer ao livro, apenas agradecer pela coragem de Rose por compartilhar essas histórias com o público. Histórias reais, sobre ter coragem, sobre ter voz em uma sociedade que tenta nos calar. É sobre não seguir rótulos, é sobre ser mais que um “objeto” masculino. É sobre liberdade. No fim do livro, entendi mais do que nunca que precisamos da mudança. Você não está sozinha nessa luta. Denuncie. Sempre tenha CORAGEM!


Quotes favoritas:
“Não se curve para fazer os outros se sentirem mais altos.” Pág. 50

“As mulheres sabem quando foram agredidas emocional, física ou verbalmente. E nenhum homem tem o direito de dizer ao contrário.” Pág. 118

“Recado à sociedade: você sempre deve perguntar se uma mulher precisa de ajuda se achar que ela foi agredida. Faça a coisa certa. Tenha coragem e seja forte.” Pág. 180

“Precisamos proteger as meninas desse tipo de situação dizendo desde o nascimento que elas valem tanto quanto os meninos. Eu queria ter sabido disso antes. Que nossas carreiras e nossos empregos importam da mesma maneira, que temos muito potencial e poder dentro de nós - quando não dez vezes mais. Se criássemos nossas meninas direito e não enchêssemos a cabeça delas com casamentos de contos de fadas e príncipes encantados, com conselhos de revistas de beleza ensinando o que um homem quer e como agradá-lo e prendê-lo, muitas meninas não se apaixonariam por homens perigosos, não  se meteriam em situações perigosas. Pág. 197

“Refletir e dar a si mesmo um tempo sem tv, internet e música, ouvindo o som da sua mente, é algo incrivelmente importante.” Pág. 244

"Não estão cansadas de competir com outras mulheres? Não estão cansadas de ideias da sociedade que beneficiam os homens e nos incentivam a ficar umas contra as outras? Por que não ajudar a mulher ou a garota ao seu lado?" – Pág. 264

"É o seu tempo, é tudo o que você tem, até onde sei, então por que passar esse tempo deixando os outros felizes se você mesma não está feliz?" – Pág. 266

16/03/2018

Unboxing: Pacote de Textos - Fevereiro/2018


             O post de hoje, é um unboxing super especial de uma caixinha que eu recebi da Pacote de Textos. A empresa envia todo mês um livro surpresa para o assinante, proporcionando ao leitor a oportunidade de conhecer as mais diversas obras e autores, e eles me enviaram a caixinha do mês de fevereiro para mostrar para vocês <3 


             Além do livro, recebemos um marcador que vem com uma quote do autor do mês o kit chega nessa sacolinha personalizada, com direito a uma cartinha onde eles apresentam o autor/autora do mês e descrevem um pouquinho sobre a obra.  

             No mês de fevereiro, a autora escolhida foi a Tércia Montenegro, com a obra "O Tempo em Estado Sólido", que é uma coletânea de dezoito contos que são super curtinhos, ótimos para ler na correria do dia a dia. O livro vem autografado pela autora e junto, recebemos um QR code que podemos acessar e assistir a um vídeo referente a obra do mês.  


             A Pacote de Textos diz em seu site que em alguns meses pode vir junto no kit um brinde relacionado ao autor ou a obra, algo que acabei sentindo falta na caixinha de fevereiro, pois acredito que isso familiariza o leitor com a história. Mas o mais legal da empresa, é o intuito de proporcionar ao leitor o contato com uma obra nova e diferente, que muitas vezes não conhecemos ou não pensaríamos em adquirir o exemplar.  

Logo trago para vocês a resenha do livro da Tércia. Mas enquanto isso, deixo aqui os meios de contato com a Pacote de Textos para vocês conhecerem um pouco mais da empresa e acompanharem os pacotinhos dos próximos meses!   




Pacote de Textos: 

09/03/2018

Resenha: O Mau Exemplo de Cameron Post

Autora: Emily M. Danforth
Editora: HarperCollins
N° de Páginas: 448
Nota:







Sinopse: Quando os pais de Cameron Post morrem em um acidente de carro, a primeira coisa que ela sente, para sua própria surpresa, é alívio. Alívio que eles nunca vão precisar saber que, algumas horas antes, ela estava beijando uma menina.

Mas o alívio não dura, e Cam é forçada a morar com sua tia ultraconservadora e sua bem-intencionada mas antiquada avó. Ela sabe que, daqui em diante, tudo será diferente. Sobreviver nessa pequena cidade rural de Montana exige que Cam finja ser igual a todo mundo e evite assuntos indelicados (como diria sua avó), e ela é boa nisso.

Até que Coley Taylor chega à cidade. Coley é perfeita, e tem um namorado perfeito para completar. Ela e Cam forjam uma amizade intensa, que parece deixar espaço para algo mais. Mas assim que isso começa a parecer possível, a religiosa tia Ruth decide que é hora de “consertar” sua sobrinha, a mandando para God’s Promise, um acampamento de conversão que deve “curar” sua homossexualidade. Lá, Cam fica frente a frente com o custo de negar quem ela é – mesmo que ela não tenha certeza que sabe realmente quem é.

O mau exemplo de Cameron Post é uma estreia literária inesquecível e impressionante sobre descobrir quem você é e ter a coragem de viver de acordo com suas próprias regras.




Opinião: O mau exemplo de Cameron Post foi um livro totalmente novo para mim, que nunca havia lido nada semelhante, onde a personagem principal precisa esconder quem ela realmente é para encaixar-se em uma cidade pequena do interior dos Estados Unidos.
A narrativa do livro é intensa, onde o leitor conhece cada ponto da história de Cameron Post. Por ser um livro que detalha muito os acontecimentos, acreditei que isso iria atrapalhar um pouco a minha leitura, deixando-a cansativa, mas a autora criou um enredo onde o leitor quer conhecer a história da personagem principal, então, os detalhamentos acabam não se tornando um empecilho.

A diagramação do livro é super confortável para o leitor, tanto na questão do tamanho da fonte, como no tamanho dos capítulos. Além disso, durante a leitura, conhecemos inúmeros personagens diferentes, cada um com uma história nova e com personalidades que agitam o enredo. Sem dúvida, esse foi um ponto alto da obra, apresentar personagens que fazem com que o leitor queira desvendar mais características sobre eles.

A história se passa em meados dos anos 90, em uma cidade do interior, Miles City, na qual todos os cidadãos se conhecem por se tratar de um lugar pequeno. Além disso, é uma cidade super conservadora. Acompanhamos a jornada de Cameron, uma menina que por repressão de sua tia, sua avó e por pessoas ao seu redor, precisa ir para um lugar onde sua homossexualidade deve ser “curada”. A questão é que não há cura para o que não é doença. Em muitos momentos, queria entrar na história e gritar isso para alguns personagens conservadores.

Cameron é extremamente corajosa e autêntica, o que faz com que o leitor torça por ela em todos os momentos. Mas, no desfecho do livro, muitos pontos da história ficaram abertos, sem a autora dar um desenlace para eles. Por esse motivo, acabei dando quatro nuvens para a obra, pois senti que alguns assuntos deveriam ter sido abordados antes do fim do livro, – no fundo, acreditava que a família iria aceitar a Cameron como ela é – a autora deixou a história de Cam na neblina e fez com que o leitor desse um desfecho para a personagem, algo que eu não apoiei muito.

Além desse detalhe, eu preciso dizer que recomendo a obra sem pensar duas vezes. É uma história de coragem e principalmente de amor, que não olha nada (nem gênero, nem regras) que não seja o sentimento em si. Tem inúmeras referências de filmes e músicas super bacanas ao longo do enredo. Além de contar com personagens que lutam pelo o que querem e que seguem seu coração e vivem com suas próprias regras.


Quotes favoritas:
“Você precisa começar a acreditar… É por onde todo mundo deve começar”. – Pág. 305

“Gosto de pensar que podem ver tudo, e que seja lá o que estiver esperando por mim, espero que não consiga me derrubar. Ao menos não muito.” – Pág. 442

02/03/2018

Resenha: Febre Vermelha

Autor: Francis Graciotto  
Editora: Máquina de Escrever  
N° de Páginas: 288 
Nota:  



Sinopse: Um navio desgovernado encalha nas pedras em Praia Grande, com sua tripulação brutalmente assassinada em alto mar. Em pleno verão na Baixada Santista, a manchete nos jornais é vista com indiferença pela população, que está mais preocupada em curtir o feriado de ano novo. Em poucos dias, uma epidemia misteriosa se espalha pelo litoral, deixando seus infectados com uma febre ensandecedora, olhos vermelhos e fome insaciável. Ocorrências de extrema violência e canibalismo tornam-se cada vez mais comuns, e as autoridades não são capazes de lidar com o caos que domina as ruas e ameaça contagiar todo o país.  

Com cenários reais em Santos, São Paulo e região, acompanhe a perigosa jornada de um grupo de sobreviventes, cada um com motivações e problemas pessoais, dispostos a fazer o que for preciso para sobreviver à Febre Vermelha.  


Opinião: Quem acompanha o blog, sabe o quanto eu aprecio obras do gênero de terror e semelhantes. Quando recebi o livro “Febre Vermelha”, soube que iria adorar o tema retratado: uma epidemia que transforma cidadãos comuns em uma espécie de zumbis.   

Como o livro é nacional, teve um aspecto em questão que chamou a minha atenção logo quando iniciei a leitura: ao invés de levar o cenário de epidemia para o exterior, os cenários onde se passa a história ficam em São Paulo e região, o que nos familiariza mais com o enredo, trazendo ele para a nossa realidade.  

Quando adentramos na história, somos deparados com uma São Paulo imersa em um cenário apocalíptico, com automóveis abandonadas em rodovias, estradas desertas e barricadas sendo construídas nos lugares. A cada capítulo, cenas de ação e pavor são retratadas, o que faz com que o leitor queira prender o fôlego. Cada descrição torna-se de extrema importância para o entendimento completo da obra.  

 Conhecemos diversos personagens, cada um vivenciando um período diferente da vida, cada um com suas metas e com seus medos. E o interessante é ver como a história de cada um deles acaba sendo entrelaçada transformando-os em um grupo de sobreviventes, que percorre todos os perigos da cidade juntos.  

“Febre Vermelha” foi uma leitura completa para mim, teve um pouquinho de todos os aspectos necessários para a construção de um bom livro de terror, começando pela ilustração da capa que já nos deixa com vontade de conhecer a história. Me surpreendi em diversas partes da obra, principalmente com o desfecho. Além disso, é um livro que flui super rápidonão encontrei nenhuma dificuldade na leitura, seja pela escrita ou pelo enredo.  

Recomendo essa leitura nacional para quem gosta do gênero de terror, e está buscando por um livro com potencial para te surpreender do início ao fim. “Febre Vermelha” foi um dos melhores livros do gênero que já li, não vejo a hora do mesmo ganhar uma continuação e podermos descobrir o desfecho ou a continuação dessa epidemia que aterrorizou a grande São Paulo.  

Quotes Favoritas: 
“Isto não são mais letras e números em um papel, Gilberto. Isto é uma epidemia. Nós temos que sair de Santos antes que seja tarde demais.” – Pág. 72 

“Caso um familiar ou conhecido esteja apresentando um dos sintomas – suor excessivo, cansaço, enjoo, vômito, dores musculares, vermelhidão nos olhos, dor de cabeça muito forte, fome insaciável ou mudança súbita de humor/agressividade – encaminhe-o a um hospital imediatamente.” – Pág. 164